Como lidar com a dor emocional

Uma das maneiras de entender o que é coaching é defini-lo como uma forma de ajudar as pessoas a superarem suas dores. Um coach pode ajudar, por exemplo, na formação da inteligência emocional e no autoconhecimento necessários para que a pessoa controle seus pensamentos de modo a superar o sofrimento e crescer com a dor emocional.

A dor emocional pode ser tão ou mais grave que uma dor física e pode afetar nosso dia a dia e o das pessoas a nossa volta. Tipos de dor como a presente no final de um relacionamento, a de não dar a devida atenção à família por causa do trabalho, ou a de não ter a habilidade de se relacionar bem com as pessoas, podem nos levar a um sofrimento profundo.

Como então lidar com a dor emocional?

Uma dor é sempre uma oportunidade de crescimento e evolução! Graças às dores emocionais que aprendemos o significado de ganho e perda. Conheça a seguir técnicas para superar mais rápido alguns tipos de dores emocionais.

Quando terminar uma relação

Se estiver sofrendo porque terminou uma relação você deve saber que sentir raiva, tristeza e negação é normal e até importante, porém é fundamental aceitar a realidade do término e focar no recomeço. Para se sentir mais forte e com vontade de recomeçar tente evitar ficar o tempo todo lembrando dos melhores momentos que tiveram juntos. Rodeie-se de amigos e família, não sinta pena de si mesmo, pense mais no seu futuro e cuide de sua aparência com boa alimentação e exercícios. Não deixe de fazer as coisas que você gosta e saia com os amigos, você vai perceber que a superação pode ser mais rápida e menos dolorosa do que você imaginava.

Quando sentir culpa

Uma pesquisa realizada por um estudioso chamado Lewis em 1971, diz que o sentimento de culpa é quando nos julgamos negativamente ao acreditarmos que não conseguimos viver de acordo com os nossos próprios padrões ou padrões impostos pela sociedade. Lembre-se que é da natureza humana sentir culpa, mas que ela não pode ser destrutiva. A pesquisadora Brené Brown descreve que a culpa é considerada saudável quando nos move em direção à pensamentos e comportamentos positivos. Isso quer dizer que a culpa deve ser para nós um meio para evitarmos que tomemos as mesmas atitudes que tragam o sentimento de culpa a tona. O importante é seguir em frente com a certeza de que a lição foi aprendida. Pense que não pode controlar o mundo ao seu redor e que apesar de ser o responsável por suas ações, não cabe à você culpar-se caso algo venha a dar errado.

Quando a autoestima estiver baixa

Muitas podem ser as causas da baixo autoestima: dificuldade de autoaceitação, falta de autoconhecimento, falta de amor próprio, entre outros motivos. Esse é um estado preocupante que pode prejudicar a saúde mental e a qualidade de vida. Contudo, existem algumas atitudes que podem ajudar a aumentar a autoestima, a primeira delas sem dúvidas é o autoconhecimento. Investir em autoconhecimento vai ajudar você a compreender as suas características negativas para melhorá-las. Outras atitudes: Evite se comparar a outras pessoas porque cada um tem sua história e seu momento para conquistar seus objetivos; Não se cobre tanto, lembre-se que errar é humano e que faz parte do processo de aprendizagem de todos nós; Sempre lembre de suas realizações e valorize suas qualidades; Perceba quais são suas crenças limitantes que o impedem de avançar e realizar determinadas coisas, alguns padrões de pensamentos e comportamento podem influenciar negativamente sua vida.

Em certos casos enxergar novos caminhos pode parecer difícil. Se achar necessário procure um profissional de coaching especializado! Você terá a orientação adequada para iniciar sua jornada de aprendizagem. Vale ressaltar que algumas pessoas necessitam de um acompanhamento clínico com psicólogos, psiquiatras e outros profissionais especializados, dependendo do caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *